Exposição ‘Joias de Nazaré 2015’ segue até o dia 31 de outubro

Veja mais fotos em nosso álbum

Joias de Nazaré 2015.
Foto: Anderson Silva - AG. PARÁ

Fé, criatividade, inovação e devoção à padroeira dos paraenses marcam a décima segunda exposição Joias de Nazaré, do Polo Joalheiro do Pará, aberta no dia 1º de outubro, na Casa do Artesão do Espaço São José Liberto (ESJL), onde ficará instalada até o dia 1º de novembro, no horário diferenciado do mês de outubro. Designers e demais empreendedores criativos do Polo criaram 127 joias em ouro e prata, com matéria-prima diferenciada e exemplos da ourivesaria artesanal autoral paraense para falar sobre o tema deste ano: "Maria, traz a luz do mundo". As joias também estão sendo comercializadas no local da mostra, que tem entrada franca.

O tema da principal exposição temática do Polo Joalheiro foi a base para o projeto de ambientação da mostra, assinado pela designer Bárbara Müller. Para mostrar a luz de Maria no mundo a designer utilizou paredões com nuvens pintadas à mão, em formato de semi círculo, fazendo referência ao céu. Bárbara explica que as luzes estão localizadas, principalmente, no centro da exposição, na direção da imagem da santa. “É como se ela estivesse descendo dos céus e trazendo luz para a terra. A concentração de luzes em cima da santa vai se dissipando pela exposição, como se Maria fosse, aos poucos, iluminando tudo ao redor”.

A abertura da mostra foi acompanhada de uma celebração religiosa organizada pela comunidade católica do entorno do ESJL, que contou com a apresentação do Madrigal da Universidade do Estado do Pará (Uepa), prestigiado pelas centenas de pessoas que participaram da cerimônia, juntamente com autoridades públicas representantes da Marinha, Polícia Militar (PM), Uepa, Secretarias de Estado de Cultura (Secult), de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e de Turismo (Setur) e outros órgãos..

Rosângela Gouvêa, diretora artística da mostra. 
Foto: Anderson Silva - AG. PARÁ

As joias foram criadas e produzidas por designers, ourives, produtores, lapidadores e demais empreendedores criativos do Programa Polo Joalheiro do Pará e a mostra teve direção artística de Rosângela Gouvêa Pinto, responsável pelo workshop que gerou a nova coleção, realizado em julho de 2015, quando as joias começaram a ser concebidas. Para a comercialização dos projetos gerados foi realizada uma feira que permitiu a alguns designers a venda de suas obras-projetos, criações adquiridas por micro empresas que desenvolveram e produziram as joias.

Tema inspira designers - Inspiração não faltou para os designers. A partir do tema “José, o escolhido para Maria”, a designer Lídia Abrahim criou sua coleção para a exposição “Joias de Nazaré 2015”. “Enveredei-me pelo caminho do conceito. José foi escolhido por Deus para exercer a função de pai de Jesus e esposo de Maria. A figura exemplar e masculina da família de Jesus. O lírio na mão de José representa o momento em que, entre os demais candidatos ele foi o escolhido: quando o botão de Lírio em sua mão foi o único a se abrir”, explica.

O colar e o anel da coleção foram produzidos em prata com pérolas barrocas, com destaque para a flor tecida em crochê de linha branca, um lírio, que também é um símbolo do Círio de Nazaré. “O lírio foi tecido minuciosamente e as pérolas são o detalhe da peça, representando, ao mesmo tempo, a semente, o embrião e Jesus”, conta Lídia.  

Joia criada pela designer Lídia Abrahim. Foto: Ascom Igama - AG. PARÁ

Para a designer Celeste Heitmann “foi maravilhoso trabalhar o tema escolhido: Maria e Familía”. Ela criou e produziu a coleção "Memórias de Maria", composta pelas joias Coroação de Nossa Senhora, Maria Amorosa, Maria Família e Maria Levada ao Céu de Anjos. Com ourivesaria da Amajoia e da Silabrasila, as joias foram produzidas pela empresa homônima da designer, em ouro e prata com gemas minerais variadas, dentre elas, o citrino, o rubi, a ametista e a turquesa.

Além do diferencial do design e utilização de matéria-prima característica da região amazônica, como sementes, chifre de búfalo, fibras e madeira, as joias da nova coleção destacam-se pela inovação, revelada em técnicas desenvolvidas no âmbito do programa, a exemplo das “gemas vegetais”, que podem ser vistas em algumas peças, como no pingente “Escolhida entre Todas”. Em prata com gema vegetal de jambu que revela a face de Maria de forma contemporânea, formada pelo design em prata fixado abaixo da gema, a peça foi criada e produzida por Bianca Kuroki, com ourivesaria de Silabrasila e lapidação de Mônica Matos e Paulo Tavares - pesquisador que desenvolveu as gemas vegetais, criadas a partir de insumos orgânicos diversos e com durabilidade similar a de uma pérola,

Outra inovação do Polo Joalheiro, a incrustação paraense (também conhecida como incrustação a frio), que confere um degradê especial de cores às joias, pode ser observada em várias peças da mostra. Com a técnica de ourivesaria o designer Felipe Braun pensou no bracelete em prata Passagens, que referenda os grandes vitrais da Basílica de Nazaré e foi produzido pela empresa Contemporâneo Design, com ourivesaria da Ourogema e da Amajoia.

"Glória", criação de Ivam Pereira. Foto: Anderson Silva - AG. PARÁ

A Basílica Santuário também foi referendada na joia criada e produzida pelo designer Ivam Pereira, no “Glória”, objeto decorativo que reproduz uma parte do altar simbólico da festividade nazarena, já que a descida da imagem de Maria de Nazaré do Glória representa o início oficial do Círio. Em ouro e prata, com madeira, osso, granada e ametista, a joia tem a forma oval e destaca o trabalho delicado da coroa de anjos lapidados em osso pelo artesão e ourives Argemiro Munoz, com ourivesaria da Arte Joia da Amazônia. A manualidade foi inspirada na obra do joalheiro russo Peter Carl Fabergé, famoso por criar ovos de Páscoa coloridos, preparados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, considerados verdadeiras obras primas da joalheria.

Para a edição da “Joias de Nazaré” deste ano Ivam Pereira - que já concebeu joias similares, como o “Ostensório” e a “Capela São José” - também criou os pingentes “Coroação de Nossa Senhora” (em prata, ouro e gemas minerais) e “Assunção de Maria”, em prata com ametistas, este último adquirido pela assistente social Patrícia Nahum. A joia que encantou Patrícia forma o manto de Nossa Senhora de Nazaré referendando vários ícones do Círio, como os promesseiros. “O que me chamou a atenção, além da exclusividade da joia, foi o detalhe do trabalho. A gente vê a procissão, a corda e várias representações do Círio”, observa.

Parcerias - A iniciativa da exposição de joias religiosas sobre o tema do Círio de Nossa Senhora de Nazaré é do Governo do Pará, por meio da Sedeme, Secult e Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), com apoio da Uepa e da Setur. A diretora do Igama e do ESJL, Rosa Helena Neves, lembra que “Joias de Nazaré” é um exemplo de trabalho em rede, uma experiência que agrega diversos setores, como o turismo, design, joalheria, cultura, educação superior, segurança pública e mineração, entre outros. ”Além da geração de trabalho e renda, nós temos a arte. É nessa integração e experiência de construção coletiva que conseguimos esse resultado do belo, expressado nas joias aqui expostas”, fala a diretora, reforçando a importância das parcerias.

                   Vice-reitor da Uepa, Carlos Capela.

Para o vice-reitor da Uepa, Carlos Capela, a parceria de sete anos entre a Universidade e o São José Liberto na realização da exposição temática é de total interesse da instituição por ser uma cooperação técnico-científica que consegue fazer esse “link” do ensino com a prática, que proporciona a divulgação de conhecimentos e saberes.

Eduardo Leão, diretor da Sedeme. 

“Esse valor agregado mostra a cadeia verticalizada e o desenvolvimento do Estado”, disse Eduardo Leão, diretor Geologia, Mineração e Transformação Mineral da Sedeme, mantenedora do Espaço São José Liberto e do Programa Polo Joalheiro do Pará. É importante ver o ouro transformado em joia, em produto final de uma cadeia em plena expansão dentro do plano de desenvolvimento do Estado, que estimula a produção e geração de renda, priorizando a agregação de valor e a verticalização.

Participam da exposição “Joias de Nazaré 2015” os seguintes designers, ourives, lapidários e demais empresas e empreendedores criativos do Programa Polo Joalheiro do Pará: Bianca Kuroki, Brenda Lopes, Camilla Amarall, Celeste Heitmann, Eli  Cascaes, Erivaldo Jr, Fábio Monteiro, Fares Farage, Felipe Braun, Helena Bezerra, Ivam Silva, Ivete Negrão, Jorge Duarte, José Leuan, Joseli Limão, Júlia Mendes, Layse Lobatto, Lídia Abrahim, Rosa Castro, Amazon Art Joias, Amorimendes, Bellart Joias, Contemporâneo Design, Danatureza, HS Criações e Design, Moa-Aran Joalheria, Ourogema, Realiza Joias, Rhama Gemas e Joias, Tavares Arte em Joias, Yemara, Zeus, Amajoia, Arte Joias da Amazônia, JS Joias, Silabrasila, Cristiano Tavares, Ednaldo Pereira, João Tavares, , Thiaraju Gomes, Leila Salame, Mônica Matos e Paulo Tavares.

Serviço: Exposição “Joias de Nazaré 2015: Maria, traz a luz do mundo", de joias religiosas do Polo Joalheiro do Pará. De 1º de outubro a 1º de novembro, na Casa do Artesão do Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, Jurunas). No horário diferenciado do ESJL no mês do Círio de Nazaré: de segunda a sábado, das 9h às 18h30, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h. No sábado (10), véspera do Círio, o funcionamento será das 9h às 15h, e no domingo do Círio (11), das 14h às 18h. O espaço não abrirá no dia do Recírio (26). Entrada franca.

Texto: Luciane Fiuza - São José Liberto

Fotos: Anderson Silva - Agência Pará 



PESQUISAR

Exposição

NEWSLETTER

Parceiros

Espaço São José Liberto - Praça Amazonas, s/n, Jurunas, Belém-Pará-Brasil. Fone: (91) 3344-3500 e (91) 3344-3514.
Horário de visitação: terça a sábado, de 09 às 18:30h; domingos e feriados, de 10h às 18h.