Joias são expressões de fé na exposição “Joias de Nazaré 2014", no São José Liberto

Exposição "Joias de Nazaré 2014 - Expressões da Fé"
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará

A coleção “Joias de Nazaré 2014”, lançada pelo Polo Joalheiro do Pará, chega a sua 11ª edição com o tema “Expressões da Fé”. As joias foram criadas por designers paraenses e produzidas por profissionais da cadeia produtiva do setor joalheiro, formada por empreendedores do território criativo do Espaço São José Liberto, e podem ser vistas pelo público até 31 de outubro, na Casa do Artesão. A visitação pode ser feita das 09 às 19 h, de segunda a sábado, e das 10 às 18 h, aos domingos e feriados. A entrada é franca.
 
A mostra integra o calendário turístico oficial do Estado e foi aberta ao público na quarta-feira (1º), com celebração de missa na Capela do São José Liberto, cortejo e programação musical. A exposição reúne 107 peças em ouro e prata, com gemas minerais e orgânicas, e outros materiais inovadores e sustentáveis.
 
A fé e suas diversas formas de expressão encontradas no Círio de Nazaré são a fonte de inspiração para designers e empresários do setor. As joias comunicam a devoção do povo paraense, e foram criadas a partir da visualidade plástica do Círio.
 
Rosângela Gouvêa Pinto, professora da Universidade do Estado do Pará (Uepa), curadora da mostra pela sexta vez, coordenou o workshop de geração de produtos que resultou na coleção. As joias produzidas artesanalmente resultam de pesquisas realizadas por designers, ourives, microempresários e demais empreendedores que integram o Programa Polo Joalheiro.
 
Rosângela Gouvea, curadora da exposição, e
Rosa Neves, diretora do Igama. Foto: Carlos Sodré/Agência Pará

Pesquisa - Segundo a curadora, foi incorporada a consultoria técnica para garantir a fidelidade dos projetos ao tema proposto para as coleções, trabalho que envolveu profissionais mais experientes e novos integrantes do programa. “Mesmo tendo novos participantes, o tema ‘Círio’ já está arraigado em nós, paraenses, e nos que aqui habitam. Portanto, o trabalho da criação tem como característica principal direcionar para os subtemas propostos para cada ano, e acirrar a pesquisa técnica sobre o assunto, aplicando sempre novas técnicas de criação”, explicou.
 
Sobre o tema deste ano, “”, a curadora disse que foi necessário trabalhar mais com a emoção de cada participante como observador, tanto da emoção dos paraenses quanto da sua própria em relação ao Círio de Nazaré.
 
A ambientação da exposição ficou a cargo da designer Bárbara Müller. A imagem da Santa fica no centro do ambiente, que tem como elemento principal fitas de promesseiros cuidadosamente colocadas em cada vitrine. “Nas laterais foi usada uma cor padrão, clássica e neutra. No centro usei algumas fitas coloridas, simbolizando a diversidade das expressões da fé”, explicou Bárbara. Segundo ela, cerca de 100 metros de fitas foram usados na composição.
 
A mostra tem agradado os visitantes. "A exposição está linda e muito bem ambientada. As joias, além de bonitas, são bem feitas e possuem um ótimo acabamento. Joias como estas, que valorizam a cultura e a história paraense, são únicas e retratam a nossa fé em Nossa Senhora de Nazaré", comentou a fotógrafa Mara Deyse Fereira, de Bragança (município do nordeste paraense), na solenidade de abertura.
 
Ela destacou, ainda, o valor do produto e os atrativos do espaço. “Também me chamou a atenção o preço acessível das joias. O Polo Joalheiro se tornou um espaço que agrega joias bem feitas, artesanato amazônico diferenciado e uma bela arquitetura histórica", completou.
 
Missa de abertura da "Joias de Nazaré 2014".
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará
Celebração - A programação de abertura da “Joias de Nazaré 2014” começou na Capela do espaço, com celebração de uma missa pelo padre Adailson Oliveira da Silva, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. O público recebeu uma réplica da imagem de Nossa Senhora de Nazaré ofertada, ano passado, ao Papa Francisco, e cedida pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur).
 
Após a celebração, a imagem seguiu em cortejo pelo Jardim da Liberdade até o Coliseu das Artes, onde foi montada a exposição. A programação de abertura contou com a participação da pianista Eliana Cutrim, do cantor lírico Edelmiro Soares e do Grupo de MPB do Núcleo de Arte e Cultura (NAC) da Uepa.
 
Rosa Helena Neves, diretora do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), OS que gerencia o Espaço São José Liberto e o Programa Polo Joalheiro, destacou o crescimento do número de projetos criados pelos designers nesta edição, quase o dobro da edição anterior. Segundo ela, uma das estratégias da organização é estimular a comercialização de joias com mais variedade e preços justos, acessíveis a todos os clientes.
 
Pingente 'Estações', criação de Ivete Negrão.
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará

Diálogo poético - A nova coleção de joias do Polo Joalheiro, frisou a diretora, apresenta um “diálogo poético” entre o tradicional e a inovação, o artesanal e tecnológico, as técnicas tradicionais e a criatividade. “Esses complexos diálogos foram construídos e formatados em joias que brincam com o belo da diversidade cultural amazônica, gerando um luxo que agrega opostos: o metal precioso com o plástico e o papel, os diamantes com as gemas orgânicas de origem animal (chifre de búfalo), as fitas dos pedidos dos promesseiros com variados tipos de quartzos. Um luxo acessível, exclusivo, raro e encantador!”, completou Rosa Neves.
 
Maria Amélia Enriquez, secretária de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, participou da solenidade de abertura e enfatizou que a exposição já faz parte do calendário de atividades do Círio. Segundo ela, o evento é passagem obrigatória dos visitantes que chegam à cidade, e a oportunidade para adquirir uma joia exclusiva como lembrança desse momento.
 
A importância da dedicação de cada profissional que participou da nova coleção, e as parcerias firmadas para a iniciativa, foram destacadas por Anna Cristina Resque, diretora do Museu de Gemas do Pará, que representou a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) no evento.
 
A realização da exposição é da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e da (Secult), em parceria com o Igama e o apoio institucional da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Paratur e Uepa.
 
Pingente 'Manto Garafa PET', criação de Laise Lobato.
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará

Inovações – As joias da coleção 2014 revelam o trabalho minucioso de 18 designers e 23 microempresas e empreendedores individuais, além de ourives, cravadores, lapidários, produtores e demais empreendedores criativos do Polo Joalheiro. Com preços variados, que vão de R$ 55,00 a R$ 2.980,00, as joias podem ser compradas no local. Em cada detalhe das peças são revelados os metais nobres e as gemas minerais, além das técnicas tradicionais de ourivesaria e lapidação, como a incrustação paraense e o fio de ouro trançado, presente no anel em ouro “Fé dos Promesseiros”, criação de Bianca Koruki, com ourivesaria da empresa Amazonita.
Técnica que confere um colorido especial e tons de degradê às joias, a incrustação paraense ou “esmaltação a frio”, como também é conhecida, está na pulseira em prata “Barcos de Miriti”, criação do designer Fares Farage, com ourivesaria da Amazon Art, e no pingente “Florir de Pé”, criação e produção da designer Bárbara Müller, com ourivesaria da Joiartmiro. (foto ao lado) 
 
Desenvolvida pelos mestres artesãos Paulo Tavares e Argemiro Muñoz, pioneiros do programa, e aprimorada por Joelson Leão, a incrustação paraense utiliza pó de gemas e diversos materiais orgânicos da joalheria local, em um procedimento que aproveita a matéria prima mineral e alcança resultados especiais de coloração.
 
A sustentabilidade também é marca da nova coleção, e se destaca nos pingentes “Manto Papel Picado” e “Manto Garrafa PET”, criados pela designer Laise Lobato, em referência à água ofertada aos romeiros e à chuva de papel picado que homenageia a padroeira dos paraenses. Além de madrepérolas, fibras de curauá, chifre de búfalo e outros materiais naturais, e das gemas minerais (pedras preciosas), as joias contêm turmalinas, rubis, topázios, diamantes, safiras, quartzos, água marinha, ametistas e citrinos.
 
A presença de gemas é comum nos pingentes em ouro e prata criados pela designer Rosa Castro. As joias revelam a fé manifestada pelas pessoas que vêm ao encontro de Nossa Senhora. “Não sou paraense, mas desde que cheguei aqui tive muito respeito e admiração pelo Círio de Nazaré. Admiro muito a festa, a devoção e a fé com que as pessoas buscam a Santa”, declarou a designer.

Devoção e fé motivaram a criação do pingente “Preciosa”, em ouro com topázio, água marinha e diamantes. “Busquei na simplicidade dos ribeirinhos que atravessam rios para mostrar a Nossa Senhora todo seu amor, fé e respeito, a inspiração para criar este pingente”, destacou a designer.
 
Pingente 'Esperança', criação de Rosa Castro.
Foto: Sidney Oliveira/Agência Pará
Já o pingente em prata “Esperança” revela sofisticação nos detalhes. Criado em parceria com o ourives Argemiro Muñoz, a joia nasceu da observação dos contornos, acabamentos e riqueza arquitetônica da Basílica Santuário de Nazaré, considerada por Rosa Castro uma das mais lindas do mundo. “A joia traz os traços da Basílica. Busquei inspiração nos contornos e acabamentos para elaborar um pingente mais rico em detalhes, e sofisticado”, informou.
 
Caminhos da Fé”, “Amor de Mãe”, “Fé que Floresce”, “Promesseiros”, “Romaria nas Águas”, “Magnificat” e “Janelas da Fé” são algumas das joias de Nazaré que homenageiam a padroeira.
 
Os designers participantes da coleção são Barbara Müller, Bianca Kuroki, Brenda Lopes, Celeste Heitmann, Eli Cascaes, Fábio Monteiro, Fares Farage, Felipe Braun, Helena Bezerra, Ivam Silva, Ivete Negrão, Jorge Duarte, Joseli Limão, Laise Lobato, Lídia Ibrahim, Marcilene Rodrigues, Rosa Castro e Vânia Sabat.
 
As microempresas e empreendedores individuais que fazem parte da nova coleção são Amajoia, Amazon Art, Amazonita, Ana Cassia Lima, Barbara Müller, Celeste Heitmann, Danatureza, Ednaldo Pereira, Eli Cascaes, Fábio Monteiro, Francileudo Furtado, HS Criações e Design, Ivam Silva, Ivete Negrão, José Lucas, Laise Lobato, Marcilene Rodrigues, Ourogema, Rahma Gemas e Joias, Realiza Joias, Rosa Castro e Yemara, que contaram com o trabalho de ourives, cravadores, mestres artesãos e lapidários.
 
Profissionais do programa Polo Joalheiro que participam da exposição.
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará
Serviço: A exposição “Joias de Nazaré” fica aberta ao público até o 31 de outubro, nos seguintes horários: de segunda a sábado, das 09 às 19 h, e aos domingos e feriados, das 10 às 18 h. No sábado (11), quando ocorrerá a Trasladação, o São José Liberto abrirá das 09 às 15 h, e no domingo do Círio (dia 12), das 14 às 18 h. O Espaço São José Liberto está situado na Praça Amazonas, s/n, no Jurunas. A entrada é franca. Mais informações: (91) 3344-3514, 3344-3509 e ascom@saojoseliberto.com.br.
 
 
Ascom/Igama


PESQUISAR

Exposição

NEWSLETTER

Parceiros

Espaço São José Liberto - Praça Amazonas, s/n, Jurunas, Belém-Pará-Brasil. Fone: (91) 3344-3500 e (91) 3344-3514.
Horário de visitação: terça a sábado, de 09 às 18:30h; domingos e feriados, de 10h às 18h.