Trabalho da designer Ivete Negrão é destaque no jornal O Liberal

Designer Ivete Negrão. Foto: Divulgação

Veja mais fotos em nosso álbum

O Jornal "O Liberal" deste domingo, 20, destacou o trabalho da designer Ivete Negrão, que está lançando nova coleção de acessórios de moda com reaproveitamento de lentes de óculos. Os brincos, anéis e colares têm como marca a inovação e a sustentabilidade. Lentes de óculos também são matéria-prima para joias criadas pelas designers e empreendedores criativas Lídia Abrahim e Ana Maria Oliveira, que fazem parte do Programa Polo Joalheiro.  Com edição da jornalista Yáskara Cavalcante, a matéria especial foi publicada na "Revista Troppo +".O Jornal "O Liberal" deste domingo, 20, destacou o trabalho da designer Ivete Negrão, que está lançando nova coleção de acessórios de moda com reaproveitamento de lentes de óculos. Os brincos, anéis e colares têm como marca a inovação e a sustentabilidade. Lentes de óculos também são matéria-prima para joias criadas pelas designers e empreendedores criativas Lídia Abrahim e Ana Maria Oliveira, que fazem parte do Programa Polo Joalheiro.  Com edição da jornalista Yáskara Cavalcante, a matéria especial foi publicada na "Revista Troppo +".

 
Confira a matéria na íntegra:
 

Inovação marca a nova coleção de Ivete Negrão

Assessórios são criados a partir do reaproveitamento de lentes de óculos
 
Imagem/Reprodução
Lentes de óculos que seriam descartadas recebem tratamento especial e transformam-se em bijuterias exclusivas nas mãos criativas de Ivete Negrão, designer de joias, bijuterias e acessórios de moda. Com a experiência adquirida no Programa Polo Joalheiro do Pará, onde está inserida desde 2006, e no Coletivo Garimpo, criado há dois anos por designers paraenses, Ivete Negrão reflete seu amadurecimento e talento em sua nova coleção.
 
Ivete conta que desenvolveu uma técnica especial para reaproveitar o material, mas lembra que, no âmbito do Programa Polo Joalheiro, a designer Ana Maria Oliveira já trabalhava com as lentes, mas destinava o produto para a criação de joias. Por meio de uma técnica especial de corte e coloração para lentes de óculos CR 39, Ana Maria criou joias em prata e ouro em parceria com a designer Lídia Abrahim.
 
"Para qualquer designer, toda releitura é sempre válida. E o trabalho resultante da pesquisa de outros designers são formas de abrir caminhos. A gente vai se informando e se aperfeiçoando. A ideia inicial do aproveitamento de lentes não é minha, mas com o andamento das pesquisas e estudos acabei desenvolvendo uma técnica própria. Cada um tem seu modo de criar. Procuro diferenciar a matéria-prima. Nos colares, por exemplo, usei fios de seda, fibra e tecido”, explica Ivete.
 
Imagem/Reprodução
Reconhecida na área da joalheria, a designer mostra a mesma qualidade ao criar maxicolares, anéis e outras peças artesanais exclusivas que têm como marca a utilização de lentes de grau acrílicas coloridas e incolores. Além da matéria-prima diferenciada, os acessórios também são compostos com materiais como fios de seda, flores de tecido e até gemas minerais brutas, além de prata Ag 925.
 
Reutilizar e contribuir com a conservação do planeta acaba incorporando um valor a mais ao trabalho da designer, que tem agradado a clientela. Com talento e criatividade, Ivete Negrão tem incorporado a sustentabilidade em seu trabalho, prova disso são os colares que criou para a Coleção de Acessórios de Moda 2014 do Polo Joalheiro, inspirada na gastronomia amazônica, que está em exposição até o final deste mês no Espaço São José Liberto.
 
Ivete deu novas formas e destinação a talheres comprados para a ceia de Natal e criou o colar “Tapioca”, unindo sustentabilidade com design contemporâneo. Garfos e talheres foram matérias-primas da peça, composta, ainda, por fio sintético, resina e pérolas barrocas.

Lentes - Aliar a nobreza do metal à inovação do aproveitamento de lentes de óculos identifica joias criadas pelas designers Ana Maria Oliveira e Lídia Abrahim, durante a parceria firmada entre 2010 e 2013. O trabalho foi finalista, em 2010, do IDEA Brasil, edição brasileira do maior prêmio de Design dos Estados Unidos.
 
A reutilização das lentes já havia sido tema de trabalho acadêmico de Ana Maria Oliveira, denominado “Reaproveitamento de Lentes CR 39”. A sobra deste material serviu de mote para a pesquisa e também estimulou Ana Maria a ingressar no Programa Polo Joalheiro. “Em tudo que eu faço procuro me especializar, gosto de me aprofundar nos assuntos que despertam meu interesse”, comenta.
 
Para criar peças que se encaixassem nos projetos das joias a designer manuseia equipamentos próprios por meio de técnicas que ela domina. As lentes transparentes passam por um processo especial de corte, lapidação e tingimento, que mistura as cores obtendo diversas tonalidades e colorações.
 
De acordo com Ana Maria, o público tem aceitado bem as peças. As lentes também apresentam boa durabilidade, chegando a durar centenas de anos. O trabalho também é uma forma de eliminar o produto que seria descartado na natureza, prática que, inclusive, oferece riscos. Segundo a designer, se a lente for do tipo positiva e estiver exposta a determinado ângulo do sol pode sofrer combustão.  
 
Ana Maria Oliveira integra o Programa Polo joalheiro, sendo formada em Gestão Empresarial pela Universidade da Amazônia (Unama), graduanda do curso de Design do Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (Iesam) e proprietária da marca de joias Hanna Mariah.
 
Lídia Abrahim é proprietária da empresa Yemara, graduada em Design de Produto pela Universidade do Estado do Pará (UEPA) e integrante do Programa Polo Joalheiro do Pará, mantido pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom).
Peça finalista do Idea Brasil 2010, criação de Lídia Abrahim, confecção de Edinaldo Pereira e produção de Hanna Mariah. Em prata 950 com lente CR 39 tingida, gema crisopásio e quartzo hialino. Foto: Chico Atanásio


Inovação – O interesse por lentes nasceu de uma casualidade, relembra Ivete Negrão, relatando uma situação em que se deparou com a eliminação do material em uma loja. Ao questionar o gerente sobre o destino do material soube que as lentes seriam jogadas fora.
 
“Fui a uma ótica da cidade fazer uma nova lente para meus óculos e, naquele momento, eles estavam com muitas lentes para descartar, pois não seriam mais usadas. Fiquei interessada e pensando se não haveria um jeito de reutilizar as lentes de alguma maneira. Acabei pedindo todas e as levei para casa. Sempre tive esse interesse em reaproveitar material que, às vezes, as pessoas jogam no lixo”, conta a designer, lembrando que, o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na Faculdade Estácio/FAP teve como tema o reaproveitamento de madeira na confecção de acessórios de moda e joias.
 
“Agora já estou aproveitando a lente acrílica. Nos meus trabalhos procuro sempre envolver essa consciência ambiental”, diz ela, que firmou parceria com a ótica, que cede a matéria-prima. “E os acessórios com lente têm tudo para virar tendência, pois agregam duas coisas que estão muito em moda hoje: o floral e a transparência, além de ser um produto reciclado”, acrescenta, contando que para a nova coleção já criou mais de 20 colares, anéis e brincos.
 
“A lente é uma inovação no mercado de acessórios de moda. Podemos usar material simples que muitas vezes iria para o lixo. Depois de pronto, o acessório ganha um valor único, que qualifica o trabalho”, analisa.
 
Os preços também são atrativos: um anel simples (sem gemas naturais e prata) custa R$20 reais; anéis e colares que utilizam lentes coloridas na sua produção custam, respectivamente, R$ 25 e R$45 reais; os valores dos colares com gemas naturais vão de R$45 a R$80 reais; e os colares com gemas naturais e prata custam entre R$80 e  R$120 reais.
 
A assistente social Jarina Gomes é cliente de Ivete Negrão e admira seu trabalho com joias. Ela comprou um conjunto de brincos, colar e anel, peças criadas com o material reutilizado. e também virou fã dos acessórios de moda da designer. “É uma idéia original que dá um realce para as peças. Por onde eu ando chamo a atenção das pessoas e quando conto que são feitas com lente todo mundo se admira”, diz Jarina, com a aprovação da assistente social Maria Izabel de Souza, que também comprou acessórios com lentes de óculos recicladas. “A utilização das lentes dá um valor a mais para as peças e a natureza agradece”, diz Maria Izabel.
 
Foto: Ascom/Igama
Colares criados com lentes de óculos, prata e gemas minerais pela designer Ivete Negrão.
Foto: Ascom/Igama
Trajetória - Com mãos habilidosas e a mente cheia de ideias, Ivete Negrão buscou o aperfeiçoamento na profissão, onde começou como produtora e designer de joias. Formou-se no Curso de Design de Joias pelo Cefet - atualmente Instituto Federal do Pará (IFPA).
 
Desde 2006 integra o Programa Polo Joalheiro do Pará (criado em 1998), onde já participou de importantes exposições, feiras e eventos nacionais e internacionais, como a Casa Cor Pará e Rio; a Rio+20 (RJ); o Encontro Luso-Brasileiro de Territórios Criativos (Lisboa), além de diversas edições da Pará Expojoia Amazônia Design, Coleções para o Dia dos Namorados, Dia das Mães, Joias de Nazaré e outras exposições promovidas pelo Espaço São José Liberto, onde comercializa suas criações na Una, modelo de loja incubadora situada no São José Liberto.
 
“A joia entrou primeiro na minha vida. Com o passar do tempo me apaixonei pela criação de acessórios e, hoje, é meu grande ‘xodó’. Eu fico totalmente encantada pelas várias possibilidades na criação das peças. A joia requer mais atenção nos detalhes e um investimento muito maior. O acessório, não”, observa Ivete.
 
Em 2013, junto com seis designers do Programa Polo Joalheiro do Pará, Ivete criou o Coletivo Garimpo de Designers Paraenses, com a proposta de fomentar novos valores para o mercado de joias, promovendo novas oportunidades por meio da economia colaborativa, forma de organização econômica baseada no compartilhamento de recursos. Ela explica que a iniciativa tem como foco a valorização do setor de joias do Pará como referência em design regional de olhar contemporâneo, valorizando a cultura local, o comprometimento social e o respeito ao meio ambiente.
 
Com lentes de óculos Ivete Negrão cria anéis e outros acessórios.
Foto: Ascom/Igama
As peças da nova coleção da designer Ivete Negrão poderão ser encontradas na loja incubadora de moda e acessórios que começará a funcionar, a partir de agosto deste ano, no Espaço São José Liberto, comercializando obras e objetos autorais, e difundindo o trabalho de novos designers e estilistas. Também podem ser adquiridas por meio dos seguintes contatos: designerivetenegrao@yahoo.com.br e (91) 9986-2892. 
 
Já as peças criadas pelas designers Lídia Abrahim e Ana Maria Oliveira podem ser adquiridas pelos contatos: yemara@globo.com e (91) 3223-9678 (Lídia); amarry_olive@hotmail.com e (91) 9146-0577
 
Ascom/Igama


PESQUISAR

Exposição

NEWSLETTER

Parceiros

Espaço São José Liberto - Praça Amazonas, s/n, Jurunas, Belém-Pará-Brasil. Fone: (91) 3344-3500 e (91) 3344-3514.
Horário de visitação: terça a sábado, de 09 às 18:30h; domingos e feriados, de 10h às 18h.