Artesanato e acessórios inspirados na Copa são destaque no São José Liberto

Inspirado na biodiversidade do país e na emoção que o futebol promove no povo brasileiro, o grupo de artesãos do Programa Polo Joalheiro do Pará produziu peças e objetos a partir da diversidade do artesanato tradicionalmente comercializado no Espaço São José Liberto (ESJL). Os produtos, criados por designers, empreendedores criativos, empresas e mestres artesãos, estão sendo comercializados na Casa do Artesão e no Aeroporto Internacional de Belém.
 
São camisetas adultas e infantis com estampas lúdicas e originais; bolsas; carteiras; chaveiros; imãs; cata-ventos; blocos de notas; brinquedos e outros objetos utilitários e decorativos, confeccionados com sementes, miçangas, palha, miriti, escamas, resina, madeira e cheiro-do-Pará, personalizados com a marca da brasilidade, fazendo alusão ao campeonato mundial. As peças são resultado da criatividade e originalidade local.
 
Chaveiros de miçanga que estão sendo comercializados na Casa do Artesão.
Foto: Ascom/Igama
Entre os produtos artesanais estão em destaque os trabalhos feitos com miçangas da Associação Indígena das tribos Mebêngôkre – Kayapó e Me à yry Tekrejarôti-re: colares nas cores da bandeira nacional, destacando o verde e amarelo, além de chaveiros no formato do uniforme da seleção brasileira com suas numerações.
 
Já a criadora e mestra em Ciências Ambientais, Carmen Américo, que assina as peças da Amazônia & Cia, produziu maxicolares utilizando escamas, sementes, fibras, folhas secas e gemas minerais brutas. Segundo ela, apesar dos acessórios terem a simbologia das cores do Brasil e referendarem o evento, eles são atemporais.
 
O processo criativo foi inspirado no amplo conceito de brasilidade que considera os elementos das cores da bandeira e os significados que são atemporais. São peças que podem ser incorporadas como acessórios de moda não só no período da Copa, como em outras ocasiões”, identifica. Além da beleza, os colares têm o acréscimo do valor social, pelo diferencial do processo de produção.
 
Carmem Américo criou maxicolares e colares com temática da Copa.
Foto: Ascom/Igama
Carmen Américo explica que o projeto da empresa engloba o aproveitamento de resíduos “para o empoderamento de meninas e mulheres ribeirinhas”, que depois de consumir as frutas e os peixes, coletam as escamas e sementes e também participam das etapas de produção das peças.
 
Dentro do tema, o artesão Guilherme Júnior, especialista em macheteria (artesanato em madeira), também criou peças para a coleção. "Criei as peças pela necessidade do momento e do evento. Meus produtos foram solicitados e escolhidos pelo Sebrae Nacional para o Projeto Brasil Original, que levou peças de todos os estados para as cidades-sede da Copa. Minhas peças foram mandadas para Shopping Amazonas, em Manaus, e para São Paulo (SP). Mandei kits de machetaria com pen drive, porta cartão e estojo, e já recebi uma ótima notícia de que já foram quase todos vendidos", comemora.
 
Criação - A diretora do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e do ESJL, Rosa Helena Neves, falou da ideia da criação da coleção temática. “A Copa do Mundo é um evento esportivo, turístico, cultural e econômico, que agrega diálogo entre as diversidades culturais dos países participantes e promove diversão e cultura. Por ser também um evento tradicional, o futebol é tão complexo. Nosso artesanato comunica tudo isso e foi concebido a partir da nossa identidade: fala de tradição, inovação e diversidade calcada no esplendoroso DNA brasileiro”, explicou a diretora.
 
Eu adoro futebol e carimbó. Juntar esses dois mundos demanda muita criatividade. Têm muitas peças bonitas na coleção, como colares delicados e charmosos e a como a camiseta com o desenho das dançarinas do carimbo (criação da artesã Gisele Moreira, da empresa Arte Papa Xibé). É a mistura do futebol com a natureza”, completou.
 
Colares e outros acessórios de moda
comercializados na Casa do Artesão.
Foto: Ascom/Igama
A Casa do Artesão é um espaço de exposição e comercialização de produtos de oito setores criativos: artesanato, cultura indígena, artes visuais, publicações e mídias impressas, acessórios de moda e gastronomia. No local, podem ser encontrados, ainda, produtos de expressões culturais, audiovisuais, literárias, produtos alimentícios típicos, além de criações culturais e funcionais.
 
Os acessórios de moda, produtos artesanais e manualidades são criados e produzidos por mestres artesãos e empreendedores criativos de 45 municípios do Estado do Pará, contemplando diversas tipologias, onde se destacam a cerâmica, cuia, cestaria, sucata marinha, tururí, encauchados, miriti, balata, fibras, madeira e outras.
 
Joias e artesanatos do Espaço São José Liberto também podem ser encontrados na exposição “Pará Copa”, montada no terraço panorâmico do Aeroporto Internacional de Belém até o dia 31 de julho, das 8h da manhã às 2h da madrugada, em uma realização é do Sebrae/PA, com apoio do Igama, da Seicom e do Governo do Pará.
 
Serviço: A variedade de produtos artesanais e acessórios de moda com temática da Copa do Mundo 2014 está sendo comercializado na Casa do Artesão do ESJL durante o período do mundial. A visitação ao espaço está com horário diferenciado nos dias de jogos do Brasil. Já estão definidas as seguintes mudanças: no dia 17 de junho, das 9h às 13h. Nos demais dias o funcionamento continua com o horário normal: de terça a sábado, das 9h às 19h; domingos e feriados, das 10h às 18h.

Fonte: Agência Pará de Notícias


Luiz Armando Viana - Ascom/Igama


PESQUISAR

Exposição

NEWSLETTER

Parceiros

Espaço São José Liberto - Praça Amazonas, s/n, Jurunas, Belém-Pará-Brasil. Fone: (91) 3344-3500 e (91) 3344-3514.
Horário de visitação: terça a sábado, de 09 às 18:30h; domingos e feriados, de 10h às 18h.